segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Eu Tranco a Porta


(Rogerio Bahiense)



Tanta coisa acontece sem querer
Quando eu vejo não dá mais pra consertar
As bobagens que eu digo
Estão longe do que eu sinto
O meu coração não vê ninguém em seu lugar

Você sabe muito bem que eu sou assim
Mas tá certo, dói ouvir tanta besteira
Me desfaço de você
E pareço outra pessoa
Quando perco a calma chego a me desconhecer
Na verdade essa loucura
Que parece não ter cura
É meu jeito doido de amar você

Sou teu menino, briga comigo, põe de castigo
Revira a casa, arma o barraco
Se for preciso
Explode agora, bota pra fora
Tua revolta
Só não me fala em fazer a mala
Que eu tranco a porta.

©rb

***

Nenhum comentário:

Postar um comentário